segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Prémio Nobel da Paz para a paquistanesa Malala e o indiano Kailash Satyarthi


O Prémio Nobel da Paz foi atribuído na passada sexta-feira à ativista paquistanesa Malala Yousufzai e ao indiano Kailash Satyarthi "pela sua luta contra a repressão de crianças e jovens e pelo direito de todas as crianças à educação. 

Malala Yousufzai tornou-se conhecida pela sua defesa do direito universal à educação em todo o mundo. Em 2012, a jovem foi alvo de um atentado por um grupo de taliban que controlava a região paquistanesa onde vivia. Malala sobreviveu e tornou-se uma das vozes mais ouvidas na área dos direitos das crianças à educação. Entre as muitas acções em que participou, sublinha-se o seu discurso na sede da ONU em Nova Iorque, em que apelou à tolerância e compreensão entre os povos. 

Kailash Satyarthi, 60 anos, abandonou uma carreira de engenheiro electrónico para se dedicar à luta contra o trabalho infantil nos anos 1980. A organização que fundou, Bachpan Bachao Andolan, já conseguiu retirar perto de 80 mil crianças do trabalho escravo, conseguindo devolvê-las à educação e ajudar na sua reintegração. Satyarthi é o promotor de vários movimentos da sociedade civil, incluindo o maior dedicado a este tema, a Marcha Global contra o Trabalho Infantil, que une organizações não-governamentais, sindicatos de professores e de comércio de todo o mundo (2000 grupos em 140 países). Também fundou a Campanha Global pela Educação, que visa combater a crise global na área.

“Uma criança, um professor, uma caneta e um livro podem mudar o mundo”
Malala

Sem comentários: