quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Concurso Nacional de Leitura

Já foram selecionadas as obras para o Concurso Nacional de Leitura.
As inscrições decorrem até 4 de janeiro de 2013 e a prova de seleção realiza-se no dia 9 de janeiro.

Obras de leitura obrigatória:

Ensino Básico

 "O Rapaz do Rio" de Tim Bowler - As grandes paixões de Jess eram o avô e a natação. Fora por isso que ficara radiante quando soubera que ia passar alguns dias de férias à casa onde o avô vivera a sua infância. Mas a alegria desvanece-se quando Jess descobre que o avô se encontra em estado terminal. Mesmo assim, o velho senhor parece estranhamente empenhado em terminar um quadro enigmático a que dá o nome «O Rapaz do Rio». Ao tentar ajudá-lo nesta última tarefa, Jess acaba por se deixar envolver pela tela, descobrindo a sua íntima relação com a vida do avô...
Através de uma linguagem profundamente poética, Tim Bowler traça afinal neste seu «O Rapaz do Rio» uma metáfora sobre a vida, a morte e a perda e o crescimento interior que esta pode vir a despoletar. Uma obra galardoada em 1998 com a 'Medalha Carnegie'. 


"Mar me quer" de Mia Couto
Um dia o padre Nunes me falou de Luarmina, seus brumosos passados. O pai era um grego, um desses pescadores que arrumou rede em costas de Moçambique, do lado de lá da baía de S. Vicente. Já se antigamentara há muito. A mãe morreu pouco tempo depois. Dizem que de desgosto. Não devido da viuvez, mas por causa da beleza da filha. Ao que parece, Luarmina endoidava os homens graúdos que abutreavam em redor da casa. A senhora maldizia a perfeição de sua filha. Diz-se que, enlouquecida, certa noite intentou de golpear o rosto de Luarmina. Só para a esfeiar e, assim, afastar os candidatos.
Depois da morte da mãe, enviaram Luarmina para o lado de cá, para ela se amoldar na Missão, entregue a reza e crucifixo. Havia que arrumar a moça por fora, engomála por dentro. E foi assim que ela se dedicou a linhas, agulhas e dedais. Até se transferir para sua atual moradia, nos arredores de minha existência.


Ensino Secundário

"Amor de Perdição" de Camilo Castelo Branco
Este romance, ou novela, como pretendem alguns, tem um traço shakespeareano, e é o livro mais traduzido do escritor, tendo sido, também, adaptado ao cinema por várias vezes. Escrito na prisão, em 15 dias, assinala a fase de plena maturidade artística de Camilo Castelo Branco.
Duas famílias nobres, os Botelho e os Albuquerque, vêem o ódio mútuo ameaçado pelo amor entre Simão Botelho e Mariana Albuquerque. Simão é um herói romântico, cujos erros passados são redimidos pelo amor; Teresa, uma heroína firme e resoluta em seu sentimento de devoção ao amado. O amor entre estes dois jovens, um amor puro, é contrariado pelo mundo exterior, o hipócrita mundo dos adultos. Essa será a causa da perdição dos amantes, ele como assassino, por amor dela, e ela tuberculosa, por amor dele.
A morte de ambos arrasta também a de Mariana, apaixonada por Simão, a mais romântica das personagens, e que procura a morte por não querer sobreviver à morte do amado.

"O Violino de Auschwitz" de Maria Angels Anglada

É Dezembro de 1991 e, num concerto de homenagem a Mozart em Cracóvia, a primeiro violinista impressiona o seu colega de trio com um instrumento rústico e humilde. No dia seguinte, quando ele lhe pergunta como é que ela o obteve, uma notável história se revela: A da vida de Daniel, um luthier, que sobreviveu passando por grandes dificuldades em Auschwitz, como carpinteiro e trabalhando às tardes na fábrica IG Farben. A inesperada relação com o comandante do campo e a posterior encomenda de um violino com as especificações de um Stradivarius tornaram-se dois momentos decisivos na vida de Daniel, em Auschwitz, sobretudo após descobrir o segredo por trás dessa tarefa.

Todas as sinopses foram retiradas da wook (livraria online) - www.wook.pt

Participa!
Consulta o Regulamento aqui! ou na secção lateral do blogue

Nota: Encontras uma versão pdf do livro "Amor de Perdição" (que já é do domínio público), na secção lateral do blogue (procura o separador Livros)

Sem comentários: