terça-feira, 27 de novembro de 2012

Para o José Couto...


... que nos deixou demasiado cedo!

Porquê?

Na criança…
Grita a birra
Chora a fome
Mas desconhece a morte
No miúdo…
Grita a impaciência
A lágrima é do castigo
Carpida da fome do amigo
De quem sente a ausência
Mas é estranha a morte
No adolescente…
Grita a irreverência
A lágrima é da paixão
Carpida na namorada
Maldizendo a sorte
Que descobriu a morte
No adulto…
O grito é de revolta
O choro é por quem não volta
Carpida na pergunta
Caída na breve ignorância
Do porquê?
Querendo ser criança…
Então….
Resta maldizer a sorte
E com o ferrete da saudade…
Exorcizar a morte.

Gilo

1 comentário:

Rita disse...

Tão bonito...
Palavras que bastam para elogiar a simplicidade de uma vida colhida pela teia de uma morte...